quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Show de Variedades FSY(EFY)




TEMA DA MUTUAL 2014

Já saiu o novo tema da Mutual 2014!
Que será: Vinde à Cristo!



Desobrigação

Depois de 3 anos e alguns meses servindo com Presidente das Moças,o tão temido dia chegou:minha desobrigação!
Com certeza foi o chamado que tive maior aprendizado durante meu tempo de membro,e tenho memórias que ficarão guardadas eternamente!
Não fiz nenhuma seguidora,mas fiz amigas que levarei pra eternidade junto a mim!
Porém agora sou consultora no FSY(antigo EFY)na sessão Maceió,o que foi extremamente prazeroso  saber,pois ainda estarei ao lado das jovens queridas que tanto amo trabalhar junto!!!!O blog continua ativo,porém não com tanta frequência!!!
:D


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Baile Junino ORM 2013





quinta-feira, 30 de maio de 2013

Porta Livros







Materiais:
-Caixa de Sapato
-Fita adesiva
-Tesoura
-Papel para revestir

Até eu me arrisquei e fiz uma pra completar meu projeto de Natureza Divina!!Só que a minha foi bem menor!!

Essa Ideia achei no Blog Margaretss!





sexta-feira, 26 de abril de 2013

Nova Presidência Geral das Moças






A Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias anunciou uma nova Presidência Geral das Moças, durante a sessão de sábado à tarde da 183ª Conferência Geral da Igreja.

As seguintes irmãs vão servir na nova presidência:

Presidente - Bonnie Lee Green Oscarson

A irmã Oscarson serviu tanto como presidente das Moças da ala como professora do seminário matinal por diversas vezes. De 1976 a 1979 serviu com seu marido quando este foi presidente da Missão Gutemburgo, na Suécia. De 2009 a 2012 serviu com seu marido na Presidência do Templo de Estocolmo, Suécia. Tem o grau de bacharelado pela Universidade Brigham Young em Literatura Americana e Britânica e é casada com Paul Kent Oscarson. São pais de sete filhos.

1ª Conselheira - Carol Louise Foley McConkie

Recentemente a irmã McConkie estava servindo na Junta Geral da Organização das Moças. Serviu anteriormente como presidente das Moças da ala, na presidência da Sociedade Socorro da ala e na Presidência da Primária da ala. Também serviu como professora da Primária, Escola Dominical e, junto com seu marido, como presidentes da Missão Califórnia San Jose, entre 2005 a 2008. Tem o grau de bacharelado em Educação Inglesa pela Universidade Arizona State e é casada com Oscar W. McConkie III. São pais de sete filhos.

2ª Conselheira - Evelyn Neill Foote Marriott

A irmã Marriot recentemente serviu como trabalhadora em ordenanças no Templo de Salt Lake. Também serviu como Presidente da Sociedade de Socorro da estaca, Presidente das Moças da ala, professora de doutrina do evangelho, professora da Primária, Escola Dominical e em muitos outros chamados. Serviu junto com seu marido quando este foi presidente da Missão São Paulo Interlagos de 2002 a 2005. Tem o grau de bacharelado em Literatura Inglesa e Educação Secundária pela Universidade Southern Methodist e é casada com David Cannon Marriott. São pais de onze filhos.
  


FONTE : http://www.osmormons.com/


Novos Inicíos 2013-Ideias




Ideias da Ala Pajuçara para os Novos Inícios



terça-feira, 26 de março de 2013

Conferência das Moças 2013

DIA 06/04
ÀS 11 HS da manhã




sexta-feira, 15 de março de 2013

Páscoa Ideias








quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Ideias para arrecadar dinheiro







Pulseiras feitas com Zíper e taxinhas
Fizemos essas pulseiras para arrecadar fundos para o Acampamento 2013 das Moças!



terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Filhas Do Pai Celestial

Maravilhoso Discurso que foi leitura recomendada pelo Program Vinde à Mim,na sessão das Moças!Vale a pena ler até o final!!!


Filhas do Pai Celestial

Susan W. Tanner
Ex Presidente Geral das Moças

O Pai Celestial as conhece e as ama. Vocês são Suas filhas especiais. Ele tem um plano para vocês.

Nosso genro disse à filha Eliza, de três anos, que eles teriam na reunião familiar uma lição sobre um tema muito especial. Ela abriu um grande sorriso e tentou adivinhar qual seria a surpresa. “Deve ser a meu respeito”, disse ela, “porque sou muito especial!” Eliza lembra e sabe quem ela é: uma filha muito especial de Deus. Aprendeu isso com a mãe, pois desde bebezinho a ouvia cantar todas as noites nosso hino de abertura, “Sou um Filho de Deus”, (Hinos, nº 193) como canção de ninar.
Em todo o mundo e em quase todos os idiomas, as moças de 12 a 17 anos declaram a mesma coisa: “Somos filhas de nosso Pai Celestial que nos ama, e nós O amamos” (Tema das Moças, Progresso Pessoal das Moças (folheto, 2002, p. 5). Mas à medida que crescem, muitas vezes elas perdem a confiança no fato de que são muito especiais, algo que Eliza, de apenas três anos, sabe muito bem. Os jovens freqüentemente passam por uma “crise de identidade” e se perguntam quem realmente são. A adolescência também é uma época da vida que chamo de “ladra de identidade”, em que as idéias, filosofias e falsidades do mundo nos confundem, atormentam e procuram roubar-nos o conhecimento de nossa verdadeira identidade.
Uma jovem exemplar me disse: “Às vezes não tenho certeza de quem sou. Não sinto o amor do Pai Celestial. Minha vida parece difícil. As coisas não estão saindo do jeito que eu queria, esperava e sonhava”. Quero agora dizer a todas as jovens do mundo o mesmo que disse a ela: sei sem dúvida alguma que você é filha de Deus. Ele a conhece, a ama e tem um plano para você. Sei que essa é a mensagem que o Pai Celestial deseja que eu lhes transmita.
Os profetas e apóstolos modernos testificam nossa natureza divina. A proclamação ao mundo sobre a família, declara: “Cada [um de nós] é um filho (ou filha) gerado em espírito por pais celestiais que o amam e, como tal, possui natureza e destino divinos” (A Liahona, outubro de 2004, p. 49). O Presidente Gordon B. Hinckley disse também:
“Vocês são incomparáveis. São filhas de Deus.
Têm por direito de nascença algo belo, sagrado e divino. Nunca se esqueçam disso. Seu Pai Eterno é o grande Mestre do universo. Ele governa todas as coisas, mas também ouve as orações que cada uma faz como Sua filha e as escuta quando falam com Ele. Ele responderá suas orações. Ele não as deixará sozinhas” (“Permaneçam no Caminho Elevado”, A Liahona, maio de 2004, pp. 112–115).
À medida que vocês permitirem que o conhecimento de que são filhas de Deus penetre profundamente em sua alma, isso as confortará, fortalecerá a sua fé e influenciará sua conduta. Se deixarem que essa verdade virtuosa adorne seus pensamentos incessantemente, vocês terão confiança em Deus, como promete a escritura do tema da Mutual (ver D&C 121:45).
Como podemos saber e sentir que somos filhas do Pai Celestial? Há um véu entre o céu e a Terra, um “sono e um esquecimento” (William Wordsworth, “Ode: Intimations of Immortality from Recollections of Early Childhood, estrofe 5, linha 58), quando nascemos. Isso é necessário para adquirirmos “experiência terrena a fim de progredir rumo à perfeição, terminando por alcançar [nosso] destino divino como herdeiros da vida eterna” (A Liahona, outubro de 2004, p. 49). O Pai Celestial nos ama e deseja ajudar-nos a lembrar-nos Dele, por isso nos proporciona vislumbres da eternidade. O Apóstolo Paulo ensinou: “O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Romanos 8:16). O Espírito concede-nos vislumbres de quem somos. Freqüentemente o Espírito fala conosco quando oramos, lemos as escrituras, refletimos sobre a misericórdia do Senhor conosco, quando recebemos as bênçãos do sacerdócio, servimos ao próximo ou sentimos o amor e apoio de outras pessoas.
Moisés compreendeu quem era por meio de uma grandiosa experiência espiritual: conversou com Deus face a face e soube que Ele era o Filho de Deus, com uma missão especial a cumprir. Depois dessa experiência espiritual, Moisés foi atormentado por Satanás, mas como havia experimentado a glória de Deus, percebeu que Satanás não tinha glória alguma. Como Moisés sabia que era filho de Deus e que Deus tinha uma missão para ele, teve forças e conseguiu resistir a Satanás, fazer um julgamento justo, invocar a Deus pedindo forças e continuar a ter consigo o Espírito de Deus (ver Moisés 1).
O mesmo padrão se aplica a nós. Quando sabemos e sentimos quem realmente somos, tornamo-nos capazes de reconhecer a diferença entre o bem e o mal e adquirimos forças para resistir à tentação. Uma das maneiras pelas quais podemos saber qual é a missão divina que Deus tem para nós é por meio de nossa bênção patriarcal. Ela é uma mensagem muito específica e individual que cada um pode receber pelo poder do sacerdócio.
Outra maneira de recebermos compreensão espiritual de nossa própria natureza eterna é por meio de um pai ou um líder que pode renovar nossa confiança graças a seus vislumbres inspirados de quem realmente somos. O Espírito já me sussurrou de modo bem específico traços da verdadeira identidade de meus filhos. Lembro-me que na noite anterior ao nascimento de um de meus filhos, tive a nítida impressão de que aquele bebê seria um grande amigo que ajudaria a cada um de seus irmãos, o que se provou ser a pura verdade. Em outra ocasião, quando um de nossos filhos adolescentes estava muito deprimido por causa de seu envolvimento em um acidente automobilístico, ouvi nitidamente estas palavras em minha mente: “Amo esse filho e o conduzirei na vida”, e foi o que aconteceu. Tive esses vislumbres muitas e muitas vezes. Quando eles precisaram de incentivo, fui abençoada com vislumbres do grande e nobre espírito de meus filhos.
Sua mãe ou seu pai alguma vez já lhes disse, quando vocês estavam saindo de casa: “Lembre-se de quem você é”? O que eles queriam dizer com isso? “Lembre-se de que você faz parte desta família e tem uma reputação a zelar”. E, ainda mais importante, “lembre-se de que você é filha de Deus e precisa agir de modo condizente”. Os missionários usam uma plaqueta como constante lembrete de que são representantes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Ela lembra aos missionários que devem vestir-se de modo recatado e asseado. Tratar as pessoas com educação e esforçar-se para ter a imagem de Cristo em seu semblante. Precisam fazer essas coisas porque usam essa plaqueta de identificação como um sinal externo da sua identidade. Por convênio, todos também tomamos sobre nós o nome de Cristo. Seu nome deveria estar gravado em nosso coração. Da mesma forma, espera-se que ajamos como filhas dignas do Pai Celestial, que nos enviou à Terra com esta admoestação, ao menos figurativamente: “Lembrem-se de quem vocês são!”
Quando fui chamada para trabalhar com as moças desta Igreja, eu sabia que teria de agir de modo condizente. Certo dia, uma de minhas filhas recebeu uma multa por estacionar na rua com a documentação do carro vencida. Decidi resolver eu mesma o problema e fui até o prédio da prefeitura para explicar que estávamos aguardando a chegada da nova documentação pelo correio. Quando entrei resolutamente no prédio, alguém me disse: “Sei quem é você”. Isso me fez parar e pensar que eu também precisava lembrar-me de quem era: não era apenas a presidente geral das Moças, mas principalmente filha de Deus.
No relacionamento com os outros, precisamos lembrar que as outras pessoas também são filhas de nosso Pai Celestial. A princípio, em nosso casamento, meu marido sempre me dizia: “Não me casei com você por sua beleza”. Por fim, brinquei com ele dizendo que isso não era muito lisonjeiro. Ele explicou o que eu já sabia, que aquele era o maior elogio que ele poderia fazer-me. Ele disse: “Amo você por quem você é interiormente e eternamente”. O Senhor disse: “Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, (…) porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (I Samuel 16:7). Na família, nas amizades, no namoro e no casamento não devemos valorizar apenas a beleza ou o currículo, mas, sim, o caráter, os bons princípios e a natureza divina que cada pessoa herdou.
Em uma estaca do Chile, as moças fizeram isso num acampamento anotando em um caderno as virtudes umas das outras. Todos os dias conheciam-se melhor e anotavam as boas qualidade intrínsecas que descobriam em cada pessoa. No final do acampamento, falaram do que perceberam e ajudaram cada pessoa a ver um pouco mais da natureza divina que cada uma traz dentro de si. A líder delas disse: “Estamos literalmente envoltas nesse maravilhoso espírito de bondade e boa vontade. Posso sinceramente dizer que não ouvi uma única reclamação das moças! Elas estão desabrochando num doce espírito de aceitação mútua que geralmente não existe entre as adolescentes. Não havia competição nem contendas. Nosso acampamento tornou-se um pedacinho do céu” (correspondência pessoal). As moças reconheceram e reafirmaram a natureza divina de cada uma, e o Espírito tomou o acampamento quando esses pensamentos virtuosos foram expressos.
C. S. Lewis disse sabiamente: “É uma coisa muito séria viver em uma sociedade de deuses e deusas em potencial, e lembrar que até a pessoa mais sem graça e maçante com quem converso pode um dia vir a ser uma criatura que, se eu a visse agora, ficaria fortemente tentado a adorar. (…) Não há pessoas comuns (…). Seu próximo é a coisa mais sagrada com que já se deparou” (C. S. Lewis, “The Weight of Glory”, Screwtape Proposes a Toast and Other Pieces, pp. 109–110).
As jovens do mundo todo, que sabem que tanto elas como as outras são filhas de um Pai Celestial amoroso, demonstram seu amor a Ele por meio de uma vida virtuosa, dedicada ao serviço, exemplar. Fiquei impressionada com as moças que se vestiam com recato numa região muito quente e úmida do Brasil. Elas disseram: “O recato não tem a ver com o clima. Tem a ver com o coração”. Essas moças sabiam que eram filhas de Deus.
Fiquei emocionada ao saber da história de cinco jovens estudantes SUD de Idaho que se afogaram recentemente num terrível acidente. Eles eram conhecidos pelos amigos e pela comunidade por viverem padrões de retidão e serem um exemplo admirável de virtude e integridade. Aqueles jovens sabiam que eram filhos e filhas de Deus.
Senti-me reconfortada com o exemplo de outra moça cujos pais se divorciaram. Ela queria que seu irmão e suas irmãs mais novos se sentissem amados, por isso ora com eles todas as noites e diz a eles que os ama. Essa moça sabe que é filha de um Pai Celestial que a ama, e demonstra seu amor a Ele amando seus irmãos.
Fiquei comovida ao saber o que algumas moças fizeram em uma região pobre e politicamente oprimida. A despeito das próprias dificuldades, essas moças se reuniram em um acampamento e planejaram maneiras de edificar o próximo. Fizeram pacotes de material de higiene para mulheres necessitadas. Prestaram serviço à comunidade, em hospitais e nas casas das pessoas. Sabemos pelas ações daquelas moças que elas compreendem sua identidade de filhas de Deus. Meu coração fica repleto de amor por elas e pelas moças ao redor do mundo. Sei que vocês são filhas de Deus e que Ele as ama.
Para concluir, gostaria de contar uma experiência muito terna e sagrada para mim. Quando fui chamada para servir como presidente geral das Moças, fiquei apavorada e senti-me muito incapaz. Passei muitas noites em claro preocupada, arrependendo-me e chorando. Depois de várias noites assim, tive uma experiência muito marcante. Comecei a pensar em minhas jovens sobrinhas, depois nas moças da vizinhança e da minha ala, depois nas moças que eu via sempre na escola, e então visualizei as moças da Igreja no mundo inteiro, mais de meio milhão delas. Uma sensação cálida maravilhosa começou a me envolver. Senti imenso amor pelas moças da Igreja em toda parte, a cada uma de vocês, e soube que estava sentindo o amor do Pai Celestial por vocês. Foi uma experiência vigorosa e envolvente. Pela primeira vez, senti paz, porque compreendi o que o Pai Celestial queria que eu fizesse: Ele queria que eu testificasse a cada uma o grande amor que Ele tem por vocês. Portanto, testifico novamente a vocês que sei, sem nenhuma dúvida, que o Pai Celestial as conhece e as ama. Vocês são Suas filhas especiais. Ele tem um plano para cada uma e estará sempre presente para guiá-las e andar a seu lado (ver “Sou um Filho de Deus”). Oro sinceramente para que saibam e sintam essas coisas, em nome de Jesus Cristo. Amém.




Ideias-Artesanato





Ideias-Artesanato





sábado, 5 de janeiro de 2013

Vinde a Mim-Novo Programa para os jovens


No Site da Igreja encontraremos todos os recursos necessários para a preparação para este novo programa!

Temas:

Janeiro: A Trindade
Fevereiro: O Plano de Salvação
Março: A Expiação de Jesus Cristo

Entre neste site LDS YOUTH e descubra mais como se preparar!